LIVRO

ja esta a venda o meu livro DELEITE POÉTICO. Aquisição pelo email moacyrmagalhaes@hotmail.com

lançamento dia 29 de outubro das 19 as 22 horas no Centro Cultural Matarazzo

Escrito por Moacyr Magalhães às 15h55 [ ] [ envie esta mensagem ] []

ja no ar o site www.salaodolivropp.com.br   

Escrito por Moacyr Magalhães às 15h50 [ ] [ envie esta mensagem ] []

                   UM DIA ESPECIAL

Quando você sorri para as flores

quando você acorda-me com carinho

quando você canta pela casa

quando é o seu dia, eu sei do presente.

Mas as coisas especiais são assim

você olha no espelho

e a cada dia nasce um belo olhar

crescente para apaixonar.

Mas denota nova vista da cidade

o sol que tomou o lugar da lua

para derrubar a preguiça da manhã

seu sorriso é um convite

para nos entregar num banho a dois

para esquecer do tempo

meio a eternidade de carinhos.

Escrito por Moacyr Magalhães às 19h46 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Fui convidado

DIA 25 DE AGOSTO, II Sarau Educarte, as 19:30, rua Dulce Moro Araujo, s/ nr. Bairro Ana Jacinta.

Escrito por Moacyr Magalhães às 18h37 [ ] [ envie esta mensagem ] []

          DESCOLADOS

Alguma coisa bela e pequena

a boca a boca num longo beijo

algumas coisas de nós dois

nossa vida tem vida, tem sentido

aquilo que gostamos e amamos

tudo é lindo, tudo faz o destino

Nós abraçados no horizonte do arco-iris

Você sorri enquanto a chuva cai,

Não sai do topo da montanha

porque o profeta pode aparecer

não é miragem, alguma fé nesse amor

é sem temor e nenhum ardor que supera

É nosso momento, nosso tempo de amor

Os problemas nõs enforcamos

o dia de trabalho também enforcamos

Toda nossa felicidade em qualquer canto.

por maocyr magalhães 

 

 

Escrito por Moacyr Magalhães às 18h26 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Moacyr Magalhães (esq) e Arimatéia no Encontro com a poesia, 08/08/09 Centro Cultural Matarazzo

Escrito por Moacyr Magalhães às 19h53 [ ] [ envie esta mensagem ] []

               REVERSO

Claro que as coisas são assim

dá um tempo na vida, faz parte da vida

o homem como meio das coisas

fazer alguma coisa escrita,

fazer um pouco diferente

existe os loucos por glória,

Ja foi a minha ilusão

Relevo a pressão exercida e toco as coisas

Não somos iguais aos outros

precisamos conversar com nós

coisas que não podemos revelar

alguém pensa que escrever é tudo verdade

O maior conteúdo é ficção, para manter a arte

Tudo de bom o sábio leitor ler

Agradecimentos por bem escrever

Arte pela arte nossa conversa à parte

Deixa as ideias voarem

viva a escrever livre com inspiração

não faça da literatura a chave de sua prisão.

p/Moacyr Magalhães

Escrito por Moacyr Magalhães às 20h40 [ ] [ envie esta mensagem ] []

PALCO DA DEGRADAÇÃO

Porvir o esquema do esquema

taciturna a exploração ante a desigualdade social,

a casa noturna de atrizes interpretando o necessário mal

suportado pela sociedade hipócrita.

Outrora as orgias de cunho liberal

regada na convivência das autoridades constituídas

pois vigora o fogoso convívio da prostituição

cambaleadas e drogadas na plena vasidão

pois a cabeça gira e não pensa em alguma solução.

Vegetar por vegetar face a larga exploração

de doses e mais doses nas lucrativas noites melancólicas

por nu de caráter os assíduos frenquentadores

após demitidos da comunhão de seus lares.

Quisera a cidade respeitar a verdadeira diversão

quisera seus dominadores serem verdadeiramente felizes

mas existe o esquema de exploração

porque sempre a sociedade cultivou esse tipo de degradação.

p/moacyr magalhães

Escrito por Moacyr Magalhães às 20h48 [ ] [ envie esta mensagem ] []

       APOCALIPSE AMERICANO

Instante a volúpia deflora

para que os fatos vigoram,

pois alguém pede socorro

e nínguem sai do caminho,

Pois jamais ninguém é lindo de caráter,

algo como coisa velha, nada civilizável,

porções desumanas de algum miserável

sem corpo para arrepiar, um espinho andante

provocando inquietude no meio capitalista

Haja vista que as manipulações do mercado

é a regra absurda de sobreviver

provocando fome de viver com insegurança

já não há mais idade para renascer.

Ninguém viu o último inimigo do capital

ninguém conseguiu capturálo

algo como um conjungo de incompetência

dos idiotas de uma nação gigantesca

convivendo com dívidas na confiança falida

faz da pobreza a triste vergonha mundial.

p/Moacyr Magalhães

Escrito por Moacyr Magalhães às 19h13 [ ] [ envie esta mensagem ] []

RESTOS NO FINAL DE ANO

Não adianta somente limpar as gavetas

ainda resta um pó, ainda velhos pensamentos

você chegou até agora com tudo em pé

algumas falhas durante o ano velho

vire as roupas, sacode o corpo, vire as páginas.

Quantas coisas erradas fizemos durante o ano

passar uma borracha, espanar, fazer a limpeza certa

precisa limpar a mente, alum esforço no pensar

não adianta ficar triste, o tempo vai dexando suas marcas

temos que sermos fortes, como a força da natureza

pense tranquilo, respirar fundo para não afundar nas decisões.

Os lixos de nossa personalidade

não são para carregar no ano novo

nenhum caminhão vai aguentar

muito peso de nossos erros para refletir

temos que ouvir e ler o livro da palavra divina

as ferramentas boas estão na nossa mão

para construir laços de amor a cada ano novo.

p/moacyr magalhães

Escrito por Moacyr Magalhães às 18h14 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Escrito por Moacyr Magalhães às 19h46 [ ] [ envie esta mensagem ] []

                COMO LEVAR A VIDA

Nossas decisões brilhantes

sejam tomadas

para as ações serem realizadas

com razão e amor em busca do sucesso.

                      Ambientes e pessoas funestas

                      podem por tudo a prejuízo

                      os anos da nossa vida são vivos

                      e nínguém vive de cinzas.

                                   Jogos de interesses a parte

                                   para não repartir o vento que te guia,

                                   o trabalho é uma estrada divina

                                   rumo ao futuro iluminado.

                                                                      Moacyr Magalhães

Escrito por Moacyr Magalhães às 19h57 [ ] [ envie esta mensagem ] []

V E N E R A Ç Ã O

Amor e obsessão

virtual e real

amor e fanatismo

uma confusa confusão de sentimentos.

As páginas virtuais diárias

fotos e fotos, nenhum encontro

nenhum calor que vem do interior

esse seu constante exibicionismo

na frente dos meus olhos vai ferindo

meu amor não correspondido.

Pensei num encontro real,

acho que vai ser fatal

pode pairar um silêncio chato

mesmo que eu mato seu orgulho

de viver já outro amor.

Como dói ver tanta beleza

nesses olhos pequenos e morenos

na sua alegria que invade as noites

Lá no bar que ajuda nos embriagar

para a vida não ser um marasmo

para eu não ser um carrasco

pensar que posso ter você.

Moacyr Magalhães

Escrito por Moacyr Magalhães às 20h35 [ ] [ envie esta mensagem ] []

            BARATA NO PRATO

Ano novo na vida

novo emprego, chefe legal

Cidade nova, novo desafio

uma pensão no centro da cidade

era o que eu podia, minha saída.

 

A família era legal, nenhum mal

mas ela estava lá, sem suspeita

não a dona da pensão, a geladeira!

com buracos internos, fatidica, antiga, toda velha

depois a mudança para o lado velho da cidade.

 

Nada mal aquele tempo morar lá,

mas hoje? terror! prédios e móveis velhos

tem gente que gosta, é comércio, todo respeito

mas hoje sou um vencedor.

 

Era o final de mais uma refeição

na madrugada, aposto que ela mergulhou no feijão

antes de terminar o prato,

ela aparece, desfalecida, à toa, morta!

nada a falar, encostei o prato

deixei ela no centro como um troféu da janta.

Moacyr Magalhães

 

Escrito por Moacyr Magalhães às 22h57 [ ] [ envie esta mensagem ] []

      VÍDEO TRISTE

Ruas vazias

e uma cantora na pista,

Taxis amarelos voadores

E fotos amarelas do meu passado.

A cidade é um cenário,

Minha vida é um marasmo

Ela canta o sangramento do amor

E lembro-me da última namorada.

As manchetes rotineiras

dos jornais nas lixeiras,

Ratos cruzam a avenida

E sinto-me o pior bicho

Vivendo uma solidão de lixo,

A canção da morena rima o sangramento

Na cidade cenária de mais um vídeo,

o vídeo da minha vida triste.

Moacyr Magalhães

Escrito por Moacyr Magalhães às 22h45 [ ] [ envie esta mensagem ] []